Tela do artista plástico moçambicano Antero Machado.

Tela do artista plástico moçambicano Antero Machado.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Um Luxo!




O VERDADEIRO LUXO

Aquela poderia ser mais uma manhã como outra qualquer. 
Eis que o sujeito desce na estação do metrô. 
Vestindo jeans, camiseta e boné, encosta-se  próximo à entrada, tira o violino da caixa e começa a tocar com entusiasmo  para a multidão que passa por ali, bem na hora do rush matinal. 

Mesmo assim, durante os 45 minutos que tocou, foi  praticamente ignorado pelos passantes. 

Ninguém sabia, mas o músico era Joshua  Bell, 
um dos maiores violinistas do mundo, executando 
peças musicais consagradas num instrumento raríssimo, 
um Stradivarius de  1713, estimado em mais 
de 3 milhões de dólares.

Alguns dias antes Bell havia tocado no Symphony Hall de  Boston, onde os melhores lugares custam a bagatela de 1000 dólares.

A experiência, gravada em vídeo, mostra homens e mulheres de andar  ligeiro, copo de café na mão, celular no ouvido, crachá balançando no  pescoço, indiferentes ao som do violino. 
A iniciativa realizada pelo jornal  The Washington Post era a de lançar um debate sobre valor, contexto e arte.

A conclusão: estamos acostumados a dar valor às 
coisas  quando estão num contexto.  
Bell era um quadro sem moldura,
um artefato de luxo  sem etiqueta de grife.
 
 Esse é um exemplo daquelas tantas situações que  
acontecem em nossas vidas, que são belas, únicas, singulares,  
e a que não damos a menor bola, porque não vêm 
com grife ou a  etiqueta de seu preço.
.

25 comentários:

  1. Olá,
    Sabe, eu vejo essas indiferenças como apego ao próprio eu... individualismo sem limite... concentração no próprio umbigo... não atribuo culpabilidade pois a vida arrasta uma multidão pelos afazeres cotidianos...
    O artista é aquele que prossegue mesmo sem ser notado...
    A Arte lhe satisfaz corpo e alma,como vc bem expressou.
    Tenha paz e alegria!!!
    Abraços fraternos

    ResponderExcluir
  2. Lufe, a primeira vez que vi esse vídeo pensei justamente isso. Se tirarmos pessoas, coisas, situações do contexto usual, será que teremos a mesma impressão sobre elas?
    Às vezes damos valor a algo que não tem, apenas porque é "dignificado" pela mídia.
    Em outras situações, como a do vídeo, deixamos de apreciar o belo, simplesmente porque está fora dos holofotes.
    O essencial decididamente não é visto apenas pelos olhos...
    Beijão

    ResponderExcluir
  3. Orvalho

    Nos dias de hoje as proprias pessoas criam situações de isolamento, e se queixam de solidão.
    dificil, né?

    bjo

    ResponderExcluir
  4. Rê,

    por mais que a gente se policie, isto as vezes acontece com a gente em relação a algumas pessoas, principalmente pela aparencia.
    Roupas simples, gordurinas a mais, tatuagens, piersings, cores de cabelos, as vezes nos fazem desvalorizar as pessoas. Essas tem etiqueta, mas não são etiquetas de grife, criadas pela nossa ignorancia em seguir os ditames da moda ou da midia.
    Isso da outro post, e bom.....rs

    bjoca

    ResponderExcluir
  5. Oi, Lufe!

    Excelente post, rende um estudo e tanto!

    É a sociedade de aparências, em todos os sentidos.

    Inté,

    ResponderExcluir
  6. Lufeeeeeeeeeee

    Afff ...pois é..o povo gosta de ir na onda..vê o talento na frente e nao sabe apreciar affff !!!
    Se alguém avisasse ia ter um multidão !!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Diante de coisas assim eu não digo mais nada.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  8. eu vi isso no ano passado. eu fiquei chocado também.
    quantos "gênios" são ignorados toda hora por nós?

    não sabemos e jamais saberemos essa resposta.

    um abraço

    ResponderExcluir
  9. Lufe,

    Faço das suas palavras, as minhas.

    Uma pena, mas INFELIZMENTE é assim:

    não damos a menor bola, porque não vêm
    com grife ou a etiqueta de seu preço.

    Só digo: Senhor, livrai-me da mediocridade humana.

    Um abraço pra ti!

    ResponderExcluir
  10. É verdade, é como diz, não tinha moldura, senão havia sempre um tempinho, apesar da correria nas grandes cidades.

    abraço,
    José.

    ResponderExcluir
  11. Lufe...
    Acho profundo isto:os seres humanos não dão valor muitas vezes às coisas que estão à um centímetro de seu nariz...é uma pena mesmo...
    Por isto, devemos manter nossos OLHOS mais abertos e nosso CORAÇÃO menos fechado...

    beijos em voc~e,

    Bia

    ResponderExcluir
  12. Triste, não?
    As vezes o dia a dia é tão corrido que não notamos detalhes essencialmente importantes.
    Outras vezes, damos valor só ao que é caro ou a quem tem mais poderes... O ser Humano é fraco em algumas caracteristicas.
    Uma pena!
    Um beijo,

    ResponderExcluir
  13. Conhecia o texto, muito bom colocá-lo aqui, as venturas e desventuras de onde e quando estamos...
    Abçs!

    ResponderExcluir
  14. Lufe

    Sempre valorizamos aquilo que custa caro...
    há tantos exemplos de que o simples e singelo é lindo...

    beijocas

    Loisane

    ResponderExcluir
  15. SO ME VEIO NA MENTE UMA COISA::SE FOSSE UMA BRIGA..DE CASAL...UM ASSASSINATO ..UMA COISA HORRIVEL DE SE VER...CERTEZA TERIA JUNTADO MUITA GENTE.....ALGUNS DEIXARIAM DE IR TRABALHAR PRA VER O DESFECHO DA TRAGÉDIA....PODE REPARAR QUANDO HÁ TRAGEDIAS A MULTIDÃO QUE DA TRABALHO PRA POLICIA BOMBEIROS..TENHO MEDO DESSE MUNDO VIU??DAS PESSOAS GOSTAR MAIS DE VER COISAS RUINS QUE COISA DIVINA COMO ESSE VIOLINO DESSE ARTISTA..MAS DE UMA COISA TENHO CERTEZA EU PARARIA OUVIRIA..APLAUDIRIA E AINDA DARIA UNS TROCADOS PRA ELE ESSE RICO ARTISTA..UAI É O COSTUME NÃO É RSS ??SERES HUMANOS SEMPRE SERES HUMANOS "VAI ENTENDER...
    ATE
    OTILIA

    ResponderExcluir
  16. Lufe,
    O seu post é mais que pertinente. Hoje em dia o nosso comportamento é tão formatado na marca que é incapaz de discernir o conteúdo...

    Abraço

    ResponderExcluir
  17. O que dizer? Você disse tudo. O admirável e ninguém ter parado somente pela música, nem que fosse por uns segundos.
    Triste isso...
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  18. Convidou...tõ aqui tomando umas...rs...me embriaguei....

    ResponderExcluir
  19. Não jogaram nem umas moedinhas?

    ResponderExcluir
  20. Lufe, ficamos tão atrelados as coisas do dia a dia, e na maioria das vezes deixamos os bons momentos passarem desapercebidos. Antes eu fazia isso, um dia eu estava indo trabalhar e encontrei uma amiga, continuamos o caminho juntas, ela me disse o seguinte:Ná você viu como os Ipês estão lindos, todos floridos. Lufe eu fiquei com cara de paisagem, Ipês? que Ipês Sueli? Essa trilha de Ipês amarelos, você é cega? Lufe eu passava por aquele caminho a pé ao menos 03 vezes na semana, e nunca havia reparado na trilha de Ipês, fui cega durante muito tempo, hoje em dia quando venho trabalhar distribuo pelo menos meia duzia de Bom Dia, isso alegra o dia, chego para trabalhar mais animada e reparo em cada pedrinha no caminho.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  21. Oi, Lufe.

    Muito lindo! Meu marido toca violino, e sei que valor tem um Stradivarius, e não digo valor financeiro e sim histórico.
    Hoje em dias as pessoas realmente não valorizam a arte como deveria ser valorizada.
    Eu gosto de música erudita, e contratei um quarteto de cordas para tocar no meu casamento, acho muito fino e elegante, sem contar que além de tudo é clássico.

    Adorei o post!! Beijoo.

    ResponderExcluir
  22. Nossa!!!! Parei prá pensar agora. É a mais pura verdade, primeiro olhamos a moldura, para depois dar valor ao quadro... triste isso, né???
    Gd Bj

    ResponderExcluir
  23. Lufe e não é que as vezes damos mais valor a uma etiqueta do que ao verdadeiro conteúdo, é dificil nesta vida agitada que levamos repararmos em coisas que realmente são belas e que tem valor, taí o vídeo que comprova isso, embora não seja justificativa, eu com certeza pararia para ouvir um pouquinho da música, mesmo que fosse somente 5 minutos mas levou tempo até eu adquirir este habito de ver o belo em tudo o que me cerca e perder menos oportunidades.
    bjs

    ResponderExcluir
  24. Passando apenas para dizer olá!

    O dono do bar não está
    eu poderia pedir
    pinga ou chá
    creio que hoje, pinga de ingá!

    Mas o dono do bar não está.

    ResponderExcluir
  25. AMEIIII!!! LOGO EU Q ADORO MUSICA!!!
    VLW!

    ResponderExcluir

Entre no papo, comente!
Sua opinião é sempre bem vinda!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...