Tela do artista plástico moçambicano Antero Machado.

Tela do artista plástico moçambicano Antero Machado.

sábado, 28 de agosto de 2010

Papo de buteco 1 - Psicologia de Buteco

Este texto vai para SCG que me fez umas perguntas.

Como todo buteco, o meu tem fregueses constantes, isolados, as vezes aos pares ou até em grupos.
Fregueses eventuais, ou se tornam efetivos ou passam de passagem, mas sempre alguém deixa alguma coisa no ar, para ser absorvida, digerida, processada e passam a fazer parte dos anais do buteco e da cabeça da gente.  Muita coisa do que eu sei hoje, aprendi com eles.
Entre os fregueses habituais, tinha um grupo que vinha religiosamente as quarta feiras.
Primeiro veio um casal, retornaram com alguns amigos e de retorno em retorno foram ficando e fazendo dali seu ponto de encontro semanal.
Sentavam-se sempre a mesma mesa, em um canto do bar próximo a uma grande janela lateral.
Acomodavam-se e invariavelmente traçavam longas conversas, discussões sem fim...
Passavam a noite ali.
Eu, servindo, enchendo e reenchendo os copos, escutava aqui e ali pedaços das conversas. O assunto era sempre o mesmo. O ser humano e as coisas que ele fazia.
Eu gosto desse grupo, as conversa são boas, animadas, aprendo muito com as discussões, embora tenha muita coisa que eles dizem que me deixam meio no ar.
Tem um, um tal de Lacan, que vive dizendo que o comportamento das pessoas é dado pelo que elas sonhavam a noite.
Pelo que eu entendi, o sonho é o que a pessoa queria que acontecesse na realidade, mas quando ele tenta por em pratica o sonho, a repressão da sociedade, as normas sociais, não o deixam realizar o sonho da forma que sonhou. Ele falava que o sonho era a realidade oculta.
Pelo que entendi, é igualzinho o que meu pai falava, diga-me com quem tu andas que te direi quem és. Quer dizer que o homem fica preso ao grupo que ele anda, que dita as normas de como ele deve viver. Deve ser muito chato esse negocio.
Eu amo o sono e o sonho. A minha vida tem tendência a tornar-se distante quando estou acordado, será por isso? Se ao menos pudéssemos escapar disso de estarmos sempre fazendo o papel de nós mesmos!
Quando ele começava a dizer todo esse lero-lero, logo alguém dava um aparte, quase sempre um tal de Jung, que logo vem dizendo que ele não pode pensar daquela forma, pois tudo depende de compreender as pessoas e depois interpretá-las.
Tem que escutá-las e depois tentar entender o que elas queriam dizer com aquilo.
- Conhecer um homem e conhecer o que tem dentro da cabeça são assuntos diferentes, falava ele.
Isso quase sempre me dá um nó na cabeça. Fico pensando:
- O que esse cara quer dizer com isso?  Quer dizer que a gente tem que aprender a escutar os outros?  Como deve ser difícil curar com conversa um mal, que a pessoa não sabe nos dizer o que é.  Fiquei fã desse cara.
Mas não deu nem um tempinho pra que eu pensasse muito nisso aquela hora, pois um outro, o Skinner já vinha logo dizendo que estavam todos errados e que as pessoas agiam da forma que tinham sido treinadas para agir, que era tudo treino, pode?  Gente parecendo rato?
Eu gostei bem mais dos apartes de um casal simpático, mais relaxado, sempre presente, que disse que o pessoal tava viajando nas idéias demais, que o homem tinha de ser analisado como um todo, corpo, espírito e mente.
Eles falaram numa tal de Gestalt, que direciona tudo pro aqui, agora. Não adianta pensar pra trás e nem pra frente, pois o que importa é a forma que você age agora.
São o Fritz e a Laura Perls. Gente fina. Um deles até soltou uma frase de efeito: - Não apresse o rio, ele corre sozinho....
O que será que eles quiseram dizer com isso?
Tem uma outra mulher, uma alemaozona, mas ela não entrou muito na discussão, não. Se não me engano, o nome dela é Melaine Klein.
Acho que ela não entrou muito nas discussões, pois alguém me disse que ela gosta de lidar é com crianças, e ela fala que entende os meninos de acordo com as brincadeiras que eles fazem.
Ela deve ser muito doidona. 
Onde já se viu analisar uma criança, e entender o comportamento dela, só observando o modo como ela brinca? Vocês acham que quando ela tá lá brincando, ela vai pensar no que a incomoda, no que vai na cabeçinha dela? Vai nada!
E eles passaram horas e horas discutindo este tema.
Eles falaram de ego, superego, realidade, figura fundo, um monte de coisa difíceis, tentando explicar como essas coisas funcionavam, e sempre tinha um que dizia que isso tudo isso era subjetivo...
Mas o freguês mais interessante desse grupo é um velhote, que fica sempre sentado num canto como se não os conhecesse, fumando tranquilamente seu charuto, inseparável, com ar de desinteressado, meio aéreo, parecendo até que não quer ser notado enquanto os outros falam.
Não diz uma palavra, só olha!
Nesse dia porem, a discussão corria solta, os ânimos estavam elevados, de repente, enquanto eu lhe servia uma coca, e como ele gosta de coca, o velhote se levanta e diz:
- Isso é tudo culpa da mãe!!!!
Eu acho que a gente aprende muito escutando as conversas nas mesas, mas esse papo do velhinho deste dia, confesso que não entendi ....
Pra que ele foi colocar a mãe no meio?
Preciso me lembrar do nome dele...
.

33 comentários:

  1. Mãe é sempre lembrada. As vezes solenemente e em outras vezes vira mãe de árbitro de futebol.
    Mas.. Mãe é mãe e vaca é vaca. Não é assim naquela música?

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Lufe,

    O teu bar existe sim! Posso ver a decoração, as mesas espalhadas, as janelas... você servindo copos...

    O velho é um daqueles que perdem grandes oportunidades de permanecerem calados. Mas, também... papo de buteco é papo de buteco. Eu morava perto do Bar do Doca no Gutierrez. Ouvia cada coisa... e os gritos dos mais exaltados... mas seu bar tem mais qualidade, mais requinte.

    Gostei do casal Fritz e Laura. Bom, creio que já os vi em algum lugar... nalgum rio... não sei...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. E os soutros frequeses desse bar? Os homens e mulheres comuns? Pq vc não continua o texto com esses outros que vão ao bar e bebem e comem e falam e deixam contas penduradas, bilhetes no mural?...
    Um bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  4. Lufe!

    Xiii, "Inda bem" que eu não estava nesse meio do papo hehehehe. Essas discussões todas, essas pessoas todas querendo colocar suas idéias, seus conceitos de como é, e como se entender o ser humano.
    Uma vez eu comentei com um cara muito sábio sobre isso (meu pai), quando eu achava que queria fazer pisicologia:
    "Não tenho saco pra filósofo ou sei lá o que que acha que sabe ler a alma de um humano"
    Desculpe os grandes mestres, mas NINGUEM sabe.
    Parti pra área da saúde, mais interessante!

    Enfinsssssssss...quanto ao "velhinho" (Preciso me lembrar o nome dele), a mãe??

    Sei lá. Mãe é mãe. né não?

    E amor? Só o delas, esse é de verdade!

    Beijoooooooooo de bom diaaaaaaaa!!!

    ResponderExcluir
  5. Lufe! Segunda vez aqui, primeira comentando.
    Ainda não sei o que pensar a respeito. Quero simplesmente guardar as definições de como o homem se comporta e usá-las quando achar conveniente. Porque se nem eu me entendo, acho melhor não sair por aí tentando decifrar as coisas. Além do mais, acho que quanto mais se sabe do mundo, pior ele fica. Saber sempre dói um pouco.

    Gostei daqui. Obrigada pelo comentário no Escafandro, me abriu os olhos para certas coisas e me firmou em outras.
    Agora, vou ler o conto de baixo.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Freud explica a existência virtual desse buteco!!!!
    E o que é melhor....
    Ele não tem a menor decência....
    Porque ele SEMPRE põe a mãe no meio!!!!!!
    ahahahahah....
    beijos meu querido....
    PS.: gostei do voto!!! Tô de saco cheio dos meus textos!!!!!
    hahahahahahahha
    mas.... to estudando muito...
    vamos ver quando sai alguma coisa mais, digamos, reformulada.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. LUFEEEEEEEEEEE
    Tem gente de todo tipo né, agora eu estava comentando em um blog a minha vontade de viver por um dia "dentro" de outra pessoa, pra saber o que pensam, o que acham importante, as dúvidas etc
    Cada um tem seu mundo , sua forma de ver e de encarar as coisas , eu sou aquela que acho tudo lindo sou até boba rs ... mas sou uma escorpiana rs, só pra avisar rs !!! Tenho sérios limites !!!
    Eu gosto bastante de analisar o comportamento das pessoas, muitas vezes eu me perco olhando pra alguém que eu estou tentando analisar e logo levo uns cutucões de quem já conhece esse meu lado !!
    Eu devia ter feito psicologia , pq eu gosto muito de analisar o que a pessoa carrega e não expõe !

    Maaaas ...qto ao velhinho tenho alguma opções :
    1.mãe sempre tem culpa, seja lá do que rs
    2.ele apenas pensou alto , mas eram pensamentos de casos da vida dele, nada com o papo do bar
    3.de tanto ouvir opiniões dia após dia....ele concluiu que o povo tá perdido e a culpa é da mãe né, que não deu nenhuma base para pensamentos fundamentados!
    4.Concluiu que a variedade de opiniões se dá ao fato de terem mães diferente rs !
    5.Era um gaga, não sabe o que fala, vamos relevar
    hahahahahahah

    E olha, vou te dizer, blogar é uma grande terapia !!! Muitas vezes escondemos aquelas "coisinhas" que achamos desnecessárias de falar, ou até mesmo por achar que vão nos interpretar errado, aí damos de cara com alguém que tá falando e nos sentimos mais "normais ",
    ...vixi ...acho que todos os blogs formam um grande buteco ou um grande consultório !!!E nós vamos indo de um lado para o outro papeando, trocando idéais e tal !!!
    Uns falam mais alto, outros menos, tem aqueles de todos os dias, aqueles que só parecem as quartas ,
    e aqueles que ainda não nos conhecem e por isso nunca vão nos entender rs

    Beijos que daqui a pouco começo a filosofar rs !!!!

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. afff..que grande deu ate pane e duplicou hahaha

    ResponderExcluir
  10. Eu, de volta, Lufe!

    Queria escrever mais sobre o teu texto (perdoe-me ocupar tanto o teu espaço, mas sei que nós mineiros nos entendemos...)

    Eu queria dizer que gostei do texto. Tanto num buteco de verdade quanto num Blog, palavras são deixadas para serem saboreadas, por simples prazer da comunicação e/ou para expor conceitos, ideias ou nada mesmo, jogar conversa fora. Gostei muito por você escrever um pouco sobre pessoas interessantes (até me deu matéria para estudo posterior) que deixaram suas ideias. Gostei do recurso que você usou ao incluir o velhinho no texto, foi um jeito interessante de finalizar uma discussão sem fim, pois filosofar é discutir sem pensar em parar e vários são os pontos de vista e poucas são as certezas absolutas (quem as tem?).
    O velhinho xingou a mãe porque, tenho certeza, você sabe, o Homem médio, o Homem comum, usa muito a palavra "mãe" para justificar qualquer coisa mal sucedida. Escrevi homem com H maiúsculo para deixar bem claro que incluo aí homens e mulheres, sem qualquer tipo de discriminação. Você usou uma boa saída - divertida - para a questão.
    Sei também que a sua intenção ao escrever é viver/proporcionar o poder da ficção que é o de nos levar a passear por aí, deixar um pouco de lado nosso cotidiano, nossa mesmice.

    Eu gostei muito do texto, de coração! Sou muito sincera em todo comentário que faço pois acho que só a verdade nos liberta.

    Um abraço, com carinho!

    Suzana/Lily

    ResponderExcluir
  11. Guará, Suzana, Franck, Sil, Lu, Leticia, Ana,

    Num buteco, sempre aparece de tudo, essa mesa é de uns caras malucos que passaram a vida tentando explicar o inexplicável.
    Cada um é um, cada vida é uma vida, cada fato é absorvido ou interpretado pelas pessoas através das suas experiências de vida, influencias, traumas, sensibilidade.
    Cada um enxerga a vida com os seus olhos, uns de óculos de lentes mais claras e límpidas, outros com lentes completamente embaçadas. Mas cada um a vê ao seu modo.
    Esses caras pensavam e elaboraram um monte de teorias para ajudar o ser humano a se entender, lidar com seus problemas, ser feliz.
    O fato é que muitos de nós utilizamos essas teorias que aprendemos “de ouvido”e achamos que somos grandes entendedores da complexidade humana.
    Neste texto, através de uma brincadeira, alguns destes caras podem ser vistos de acordo com as idéias que defendiam, satiricamente caricaturados.
    Confesso que muitas dessas idéias considero puras conversas de botequim. Outras não.
    Mas o que é a vida senão um grande boteco? Nela tem de tudo. Tem brincadeiras, papos com os amigos, rodas de sambão, conversas sérias, grandes negócios, grandes negociatas também, chacotas, gente inconveniente, gente de grande sensibilidade, poetas, artistas plásticos, professores, médicos, bombeiros, turma da faxina, secretarias, motoboys, filósofos, desembargadores, enfim, todos representantes da grande fauna que é a humanidade.
    Hoje contei o caso desta mesa, outro dia contei o caso da namorada de um freguês e outras historias certamente virão, sempre com o ar da sátira, da brincadeira, da caricatura, retratando coisas nossas do dia a dia.
    Amanha posso contar casos dos ciganos que lêem mão, dos jogos de purrinha, dos torcedores fanáticos, dos velhos que jogam damas, das madames e seus “filhinhos” caninos que fazem xixi a minha porta, dos meninos que pedem um pão, dos que distribuem sopa aoa pobres, dos que jogam uma “pro santo, as mulheres de vida nem sempre fácil, as de “vida fácil”, enfim um pouquinho de cada coisa.
    Nem sempre retrato o que penso, há sempre a “licença poética” que vem para tornar o texto mais palatável.
    Mas sempre com uma certeza, o respeito ao ser humano e as pessoas que passam por aqui.
    O buteco ta sempre aberto, no cardápio tem de tudo, mas principalmente a boa cozinha mineira, feita com carinho, com os temperos tradicionais de nossas mães, receitas passadas de geração a geração, mantendo viva essa maravilha da cultura mineira.
    Isso realmente é culpa da mãe!

    Um grande beijo em todos vocês.

    ResponderExcluir
  12. Lily,
    Aproveitei o velhino no final, pois alem dele gostar muito de coca,todas as suas teorias levavam a representação que que a gente sempre quer matar o pai pra ficar com a mãe. É aquela velha hstoria, quando não se sable explicar: Freud explica....rs

    Querida, a sua sinceridade comunga com a minha, e que bom que agente daqui das serras se entende.
    bjo

    ResponderExcluir
  13. E resumindo tudo que você falou:

    Esse seu buteco é uma terapia Lufe.
    Independente do que cada um entende aqui, é sempre uma união.
    Tem pessoas lindas aqui, algumas eu não conheço, mas apenas de ler os comentários, eu sei que são lindas.(Como seu eu pudesse ver a aura delas).
    Um buteco sempre agrega as pessoas, não importando nada. Gentes...sim, GENTES.
    E eu gosto de gentes.
    E eu gosto demais daqui.
    E você, caro Lufe, sabe mais que ninguém como agregar as pessoas.
    A gente pode ter trocentos "seguidores" (Eu nem gosto muito dessa palavra - parece coisa de seita), mas sempre existem aqueles blogs que a gente gosta mais. Se identifica.
    Eu me identifico com blogs assim:"SIMPLES" Simples.Daqueles que a gente gosta tanto de comentar, de dar um abraço na pessoa, passar sempre por lá.
    E o seu é um deles.
    Tenho um xodó por esse buteco que é uma coisa.
    A primeira vez que postei aqui (me lembro bem), eu te disse que a forma como fui recebida, fez toda a diferença.
    Seu blog vicia.
    Mas vicia, por quem esta por trás dele: Você.
    Tu é um cara batuta, sabia?
    Obrigada por esse buteco, por nos recepcionar tão bem, por ser quem você é.
    Ahhh, pode nem ter muito a ver com o texto, mas eu sou assim. Gosto de dizer que gosto de uma pessoa, de um lugar.
    E eu gosto de você, daqui (repetindo de novo).

    Tu és um amigo querido, pois assim já te considero.

    Beijoooooooooooooo!!

    ResponderExcluir
  14. Sil, querida
    Você tem cadeira cativa no meu coração.
    Um beijão procê.

    ResponderExcluir
  15. Nossa! Me senti naqueles butecos de fundo de quintal no Prado, cheio de intelectuais, butecos escondidos atrás de pequenas portas na sobra das árvores, que saudade desses papos cabeça! Regados a aperitivos, tira gostos e coca-cola para quem gosta...
    Blue

    ResponderExcluir
  16. Blue,
    Este butecos hoje se espalham na região da Floresta e Santa tereza. Butecos simples, de papo cabeça.
    Os mais sofisticados se espalham pela regiao de Lourdes e Savassi, mas estes não propiciam clima para um bom papo de buteco.
    Que bom que você reativou o blog.
    Mais um gostoso local de encontro pra prosear
    Um abraço

    ResponderExcluir
  17. Grande Lufe!!!

    Dono no nosso BUTECO mais querido da NET!
    Como é bom passar por aqui para dar "um dedinho de prosa"!
    Estás inspirado hoje ehhhh!!!!!!
    Filosófico!

    Beijosssss

    ResponderExcluir
  18. Tô aqui tomando a caipirinha que o marido fez pra mim, mas sentada num cantinho do Boteco do Lufe. Que luxo!!!

    ResponderExcluir
  19. LUFEEEE
    Eu acho que eu to ficando lelé já....
    Hj eu comentei em uma poesia que tinha a foto do casal no chuveiro ...eu sonhei ?
    Gente to loucaaaaaaaaaaaaaaaaa !!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  20. O Freud devia ser juiz de futebol nas horas vagas... caraka, que mania de por a mãe no meio... eu, enquanto mãe, me revolto!!! rrsrsrsrsr... um texto muito bem bolado. Conversa de buteco dá o que falar...
    Lufeeee, vê se vai me ver lá no Chocolate, tá?
    Beijokas e uma semana linda pro cê.

    ResponderExcluir
  21. Sandra,
    Eu só estava escutando....rsrs
    bjo

    ResponderExcluir
  22. Fernanda,
    Você esta tão de casa que o maridão já assumiu o bar?....rsrs
    bjo

    ResponderExcluir
  23. Ana,
    Pode ser... esta imagem foi capturada na net...
    Outros capturam tbm.Creditei captura na Net, pois esta em varios Sits. Deverá ver outras por aí.
    bjo

    ResponderExcluir
  24. Lua, ´
    Pois é, depois a gente é que tem fixação com a mãe.....rsrs
    Estarei por lá, tomando um chocolate com vc.
    bjo

    ResponderExcluir
  25. Não LUFEEEEE
    Eu estava aqui mesmo comentei esse post da foto no chuveiro ...e nao acho mais ...!!!!

    ResponderExcluir
  26. Ana,
    Então ta no Drummond erótico 5
    bjo

    ResponderExcluir
  27. Bom diaaaaaaaaaaaaa meu querido.

    Lufeeeeeeeeeee, cadêêê o Drummond erótico 5???

    Será que eu bebi demais nesse buteco??

    A partir de hoje só vou pedir coca cola aqui hehehehe, ou será que tive febre em ler esses contos eróticos e surtei??

    Diz que eu to normalllllllll Lufe rs

    Beijão procê!

    ResponderExcluir
  28. Sil,
    Será que andou tomando absinto aqui no buteco?....
    Deu amnésia?.....rsrs
    Foi publicado dia 29/08
    Tem até comentário seu por lá.....rsrs
    bjaum

    ResponderExcluir
  29. Quer saber? O velhinho é que tá certo rs. Eh tudo culpa da mãe.

    E quer saber mais? rs. Eu gosto de ouvir os filósofos de buteco. Ih, o que já me diverti, dei palpite, briguei e discuti nas mesas de boteco. E tudo sempre acaba em mais um chopp e uma boa risada entre todos. A vida é um butecão!
    E viva o buteco! Timtim amigo Lufe

    ResponderExcluir
  30. Lufe, socorrooooooooooooooooooooo!!!

    Mas to igual a Ana , não me aparece no seu blog o Drummond erótico 5, afeeeeeeemariaaaa.

    Sumiuuuuuuuuuu pra mim.
    kd o chuveiro??? hehehehe, ô meu Deus, acho que a cena foi forte demais pro meu coração.

    Mas brincadeiras a parte, o Drummond 5 tbm não me aparece.
    Fazer o queeeeeee?

    Desce uma jurupinga, please!!!

    Bjão Lufe!!!

    ResponderExcluir
  31. Alexandre,
    O que eu mais gosto nos butecos é isso, dá de tudo.
    Saude amigo.

    ResponderExcluir
  32. É mesmo engraçado papo de buteco. Cada um entende e fala o que quer... Adoro ler os seus textos, mas gosto muito também de ler os comentários. Claro, pq senão estaria numa mesa isolada, né?
    Gosto cada dia mais da Lu Menezes, menina inteligente, sensível, que sempre sabe o que fala.
    Triste é ter que explicar...Se é que me entende...

    ResponderExcluir

Entre no papo, comente!
Sua opinião é sempre bem vinda!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...