Tela do artista plástico moçambicano Antero Machado.

Tela do artista plástico moçambicano Antero Machado.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Papo de Buteco 29 - Transa sueca

Outro dia me perguntaram:
- Acontece tudo isso que você conta no seu Buteco?
Pois eu digo que acontece, mas também digo, que só vê quem tem os olhos de ver e só escuta quem tem os ouvidos de escutar.
Tem gente que você pode colocar 24 horas atrás deste balcão e esta pessoa vai morrer de tédio, ela simplesmente não vê e não escuta.
Muita gente só enxerga as coisas a  um palmo ao redor do seu umbigo e tem a visão míope para as coisas que ocorrem alem desta distancia.
O  mundo borbulha, desabrocha, se aferventa e causa reboliço a sua volta e ela não vê.
Eu felizmente tenho esta capacidade e também a sensibilidade de ver,  perceber, assimilar  e tentar analisar  as coisas que ocorrem ao meu redor, sempre com uma visão imparcial e critica dos fatos.
Assim, eu posso vir aqui contar esses “causos” pra vocês, na tentativa de entretê-los, de informá-los ou simplesmente de fazê-los rir com os personagens que por aqui passam.
Essa conversa me lembrou o caso de dois fregueses que chegaram numa discussão acalorada, e eu sendo como sou, não pude deixar de escutar.
Eram dois suecos, Johaquinson e Manuelson. 
Não é muito divulgado, não sei se vocês sabem, mas foram os suecos  que inventaram o limpador de para-brisas dos automóveis! Os alemães apenas tiveram a idéia de colocá-los do lado de fora do vidro.
 Bom, voltando ao assunto, eles haviam entrado dias atrás com o carro em um posto de abastecimento de combustível  ali  na esquina, onde havia bem em frente à bomba um cartaz:
 “ENCHA O TANQUE E CONCORRA A UMA TRANSA GRÁTIS”
 Manuelson disse a Johaquinson que já havia escutado falar dessa promoção e os dois vibraram com o concurso, já pensando em ganhar uma transa grátis.
Era uma forma de dar uma puladinha de cerca sem sair atrás das raparigas, dando bandeira para as patroas ficarem sabendo da traição.
Enchido o tanque, Manuelson chamou o frentista e perguntou:
 - O pá! Como se faz para concorrer?
O frentista explicou:
-É muito simples. Diga um numero de 1 a10 e se for o mesmo número em que eu estou pensando, você ganha.
Manuelson imediatamente disse então:
- Oito!
O frentista prontamente respondeu:
- Errou. Eu estava pensando no número quatro.

Dali uns dias voltaram ao posto, encheram o tanque, chamaram o frentista e perguntaram:
- Ainda está a valer a promoção?
-Sim. É uma promoção com data indeterminada, você diz um número de 1 a10 e se coincidir com o que eu estou pensando você ganha uma transa grátis.
Manuelson, outra vez, rapidamente disse:
- Cinco!
E o frentista novamente:
- Errou. Eu estava pensando no número dois.

Um dia, depois de voltarem várias vezes sem acertar, foi exatamente o dia que estes dois suecos entraram no bar.
Assim que chegaram ao balcão, pediram:
 - Vê-me uma cerveja e dois cacetinhos, o pá!!!
Logo a seguir  Johaquinson comentou com Manuelson:
- Acho que esse gajo do posto está a nos enganar, pois nunca acertamos!
Ao que Manuelson respondeu indignado:
- Ora, pois pois, deixa de desconfiança, Johaquinson! O concurso é sério! Só na semana passada minha mulher acertou duas vezes... 

E depois o pessoal duvida que a gente tenha estes casos pra contar.
Eles acontecem a nossa frente, é so olhar, ver e escutar, vocês não acham?


13 comentários:

  1. Ora pois, pois... Porra gajo, hahahaaha!
    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Ó Lufe, tenho visto por aqui muitas, mas esta é de mais kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  3. Guará,

    Ora pois.....rsrsrs

    abços

    ResponderExcluir
  4. José,

    Que bom que gostou e deu boas risadas...

    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  5. LUFE..
    ORA RAIOS!!!!....
    KKKKK
    MUITO BOA MESMO.
    POBRES MURRUGAS....
    BJUIVOS NO SEU CORAÇÃO.
    DIAS LINDOS E NOITES QUENTES NO BUTECO.
    LOBA.

    ResponderExcluir
  6. Lufe,

    As pessoas sentam num bar e não observam nada... E tem gente que ainda admira.
    Imagina aqueles que passam pela vida e não crescem nada... porque não observaram nada, não viveram nada, não sentiram nada... Passam ao largo, sem aprendizado, porque seus olhos e ouvidos estão fechados em si mesmas.

    Adorei Johaquinson e Manuelson, rsrsrsrs.

    Beijos

    Carla

    ResponderExcluir
  7. Rssssssss....as vezes é melhor ser surdo ! heheheheh
    Bjs meus !

    ResponderExcluir
  8. Lufe

    e eu que jurava que eles fosse portugueses...

    como sou preconceituosa...rsrsrsrs


    beijocas

    Loisane

    ResponderExcluir
  9. Lufe,
    Essa sensibilidade de observar as coisas, não são para todos, infelizmente. Porque a vida nos traz cada experiência magnifica.
    Eu consigo tomar um drink, aqui em casa mesmo, e ao abrir abrir a janela, observar algo a aprender...
    Adorei o conto dos Suecos, rsss.
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Ahahahahaha

    Suecos, né? Seeeeeiiiii.

    Lufe, obrigada pelo comentário gentil e divertido lá no blog, viu? Meu gauchês e eu agradecemos imenso. ;)

    Beijo grandão!

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  11. Johaquinson e Manuelson..kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Essa foi a melhor piada de sueco que já ouvi!!

    Você é demais Lufe!!

    Beijão

    ResponderExcluir
  12. LUFEEEEEEEEEEE
    Oiiiiiiiiiiiii !!!!!!!!!!
    Ai Jesuiiiissss rs !!!
    Não sei se é modernidade ou ignorância hahaha !!
    Beijos meu Barman preferidooooooo !!!!!!

    ResponderExcluir
  13. Lufe, tem gente que só enxerga um palmo adiante do nariz e tem gente como você que enxerga longe....
    bjs
    Jussara
    PS O Rogerio colocou o versos sobre Inês lá no Palavras, para você e eu

    ResponderExcluir

Entre no papo, comente!
Sua opinião é sempre bem vinda!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...