Tela do artista plástico moçambicano Antero Machado.

Tela do artista plástico moçambicano Antero Machado.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

"Causos" de Minas - O vendedor

Eu sou suspeito para falar dos matutos da minha terra. Eu sou fã deles!
Quantas vezes me vi acocorado junto a eles, nas portas das taperas de pau a pique ou na porta das vendas, tomando cafezinho nas canecas de folha e escutando os "causos" que eles sempre tem para contar. É uma gente admiravel. 
A cultura mineira não seria a mesma se não fossem os muitos “causos” e piadas envolvendo a figura do nosso caipira, ou capiau, como os chamamos.
Os caipiras das Minas Gerais são diferentes de todos os outros caipiras desse Brasilzão!  Em sua característica simplicidade, astúcia e muita ironia, eles estão sempre prontos a reverter uma situação desfavorável provocada por alguém que despreze sua inteligência ou mesmo criadas numa visita a cidade grande.
É devido à sua inigualável simplicidade que eventualmente algum engraçadinho menos avisado se arrisca a fazer pouco dele.  Bem... aí entra em campo o que o mineiro mais sabe fazer, se fingir de bobo. Isso mesmo, fingir, pois de bobo ele não tem nada. Normalmente ele expõe quem o provoca ao ridículo. Ele os come pela beiradas!
Para lidar com o nosso capiau, é preciso primeiro entender a alma desse povo.
E respeitá-los.
Muitos “causos” que contam por aí, são inventados explorando estas características ou são baseadas em fatos e situações reais; ou que bem o poderiam ser.... como esse que eu conto aqui pra vocês.

Um mineirinho vindo da roça, mas bastante inteligente, se candidatou a um emprego numa grande loja de departamentos da cidade grande.
Na verdade ela era a maior loja de departamentos do mundo, tudo podia ser comprado nessa loja. Enorme!
O gerente, olhando aquele mineirinho simples, achou ate uma petulância ele ir a uma loja daquele porte e pedir um emprego.
Ele  perguntou ao rapaz:
- Você já trabalhou em vendas alguma vez na vida?
- Sim seu moço, eu fazia uns negócinho na roça!!! Eu sou bão de venda. Se o sinhô me contratá eu garanto que eu vendo.
O gerente, meio incrédulo, admirou a persistência do rapaz. Gostou do jeito simpático do mineiro e disse:
- Você é muito simpático e eu vou lhe dar uma oportunidade. Pode começar amanhã, como experiência.  No final da tarde venho verificar como você se saiu e se der tudo certo eu te contrato!
O mineirinho todo contente chegou na loja as 06:30 da manha, fatiota nova, doidinho para começar o serviço.
O dia foi longo e árduo para o rapaz.
As 17:30 o gerente chegou, se acercou do novo empregado para verificar sua produtividade e perguntou:
- Quantas vendas você fez hoje?
- Uma!
- Só uma? A maioria dos meus vendedores faz de 30 a 40 vendas por dia.
- É, mas foi só uma....
- De quanto foi a venda que você fez?
- Dois milhão e meio de Reais!
- Dois milhões e meio de Reais? Disse o gerente espantado - Mas como você conseguiu isso? – ele perguntou.
- Bão, o moço entrou na loja e eu vendi pra ele um anzol pequeno, despois um anzol médio e despois um anzol bem grande. Daí eu vendi pra ele uma linha fina de pescá, uma de resistênça media e uma bem grossona para pescaria de peixe pesado. Vendi pra ele umas vara de pesca com molinete, com carretilha, faca de pesca, iscas, a tralha toda. Aí eu preguntei pra ele onde ele ia pescá e ele disse que ia fazê pesca oceânica. No mar, né?  Entonce eu falei pra ele que talvez ele fosse precisá de um barco e eu levei ele inté seção de náutica, onde vende os barco e vendi pra ele uma lancha importada do estrangeiro, de primera qualidade. Aí eu preguntei pra ele que carro ele tinha e ele me disse que tinha um Porche, daqueles pequenininho, né? Entonce eu disse pra ele que um carro pequeno não dava conta de puxá a lancha, levei ele na seção dos carro e vendi pra ele uma caminhonete grandona, daquelas Ranger com tração nas quatro roda...
O gerente assustadissimo perguntou:
- Espera aí! Você vendeu tudo isso, mais de dois milhões, a um cliente que veio aqui para comprar um anzol pequeno?
- Não sinhô, na verdade esse moço  entrô aqui só querendo comprá um pacote de Modess para muié dele.
- Um pacote de Modess?
- É! Isso aí mesmo.
Aí eu falei pra ele: 
- Óia aqui seu moço, já que seu resto de semana ta perdido mesmo, que tar uma pescaria??? 
  
Caso de dominio publico
Imagem: Trabalho de Jonathan Siqueira, extraido da Net



18 comentários:

  1. Muito boa mesmo. Se não me enganos essa "história" faz parte de treinamento de vendas de muitas empresas, inclusive eu já a usei também.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Guará

    Exatamente. Ela é utilizada para estimular a criatividade na venda. Saber utilizar as dicas que o comprador te dá.Escutar a fala do cliente.
    É uma maneira divertida de desperta-los para isso.

    um abraço

    ResponderExcluir
  3. oi
    estou lhe seguindo viu
    bjos

    http://rgqueen.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Sensacional! rsrsrsrs
    Isso que é poder de persuasão...
    Muitos bjs querido amigo

    ResponderExcluir
  5. Adorei o texto! :)
    Esse camarada é um grande vendedor, rsrs

    Beijos grandes para ti :**

    ResponderExcluir
  6. Ah esses mineiros, sempre com seus argumentos, pronto a desbancar qualquer desavisado. rss Com este causo me veio à cabeça pelo menos uns três. Um deles verídico. Vou te mandar um e-mail em pvt. Se gostar, quem sabe rola um post do Hilarino, morador da "grande" Coromandel. Não conhece? Procura no mapa. Mas tem que ser mapa dos bão, tá? rss

    Beijo grande,

    ResponderExcluir
  7. Roberta,

    Fui visitar seu blog e adorei,
    Vou aparecer por la...me aguarde!

    bjo

    ResponderExcluir
  8. Gisa,

    Esses mineirim são umas coisa....eles vem de mansim, caladim, dão parpite nas hora certa, contam um causo aqui, otro ali.....quando cê vê, o bichinho já tá cumeno quetim o prato pelas berada...ele num quema os beiço, pode dexá....rsrs

    bjo

    ResponderExcluir
  9. Patricia,

    Deram a deixa e ele entrou.....eles são caladinhos, mas prestam atenção aos detalhes...rsrs

    bjão

    ResponderExcluir
  10. Malu,

    Se conheço! É pertim de Patrocinio, Monte Carmelo, Perdizes.....rsrs
    Estudei em Uberaba cinco anos, conheci a região toda. Tempo bão!!!
    Manda sim, adoro estes causos. Essa minerada da roça é o trem mais danado de bão que eu conheço.
    Gente que cultiva a simplicidade, correta, respeitadora, aferrada em seus valores, catireiros, espertos, ironicos, calmos, com uma filosofia de vida propria, conhecedores da vida e dos homens.É so saber escutar.....

    bjos

    ResponderExcluir
  11. Adorei seu boteco, Lufe!
    Li seu conto que foi selecionado no concurso Conto Vidas e adorei! Texto sensível e bem escrito. Parabéns!

    ResponderExcluir
  12. Amei, kkkkkkkkkkkk!
    Já fui vendedora, depois treinei outros, e é bem assim mesmo! Captar os sinais é fundamental, kkkkk!
    Agora como cliente, só não caíria na labia dele, por falta de verba, mas esse vendedor é magnífico, rsrsr!
    Bj!

    ResponderExcluir
  13. Rapha,

    Vendedor tem que ter alma de vendedor, né?
    O poder de convencimento passa pela capacidade de observação.Tem que estar atento.

    bjo

    ResponderExcluir
  14. ahahahaha e tem proseador/vendedor melhor que o mineirim? devagarzinho, com calma e sem pressa consegue de um tudo!

    falando em Minas, dá uma olhada nesse link
    http://www.archive.org/details/BeloHori1949

    Belo Horizonte, cidade sempre linda...em 1949! achei bem legal!

    abraços!

    ResponderExcluir
  15. Alexandre,

    Muito legal o video. O interessante é que foi feito pelo Departamento de Estado Americano de Relações com a America Latina, mostrando a riqueza das Minas Gerais. Belo horizonte aquela época tinha somente 50 anos de existencia.
    Lembro-me de tudo que aparece no video. Algumas coisas não existem mais, como a Feira de Amostras (local onde é a Rodoviaria hoje) os bondes e as arvores da Afonso Penna. Um prefeito, Amintas de Barros. mandou corta-las por estarem cobertas de pragas, um inseto pequenininho que incomodava bastante, os "amintinhas". Se fosse hoje, combateriam a praga e as arvores ainda estariam lá.
    Muitas daquelas casas mostradas, os hoteis em art deco, ainda estão por aqui, varias tombadas pelo patrimonio historico.As praças hoje estão mais bonitas e o parque continua o mesmo, so que os cervos de hoje são outros.....rsrs
    Foi uma viagem no tempo.

    um abração

    ResponderExcluir
  16. Tú não tem mais jeito.
    Passo sempre por aqui, quietinhoooooo... sem manifestar emoções.. mas hoje não segurei. Onde fostes buscar este causo, irmão?
    Ri muito aqui. Abração forte!

    ResponderExcluir
  17. Milton,

    Que bom que comentou.
    É a oportunidade de te dar um abraço, meu amigo.
    Apareça mais!
    Esse causo realmene é otimo, né?
    Resolvi abrir essa serie de "Causos de Minas " com ele. Eu o acho fantastico!
    E como eu disse no começo, esse é daqueles que mostram uma das caracteristicas desse povo: a sutileza.

    abraços

    ResponderExcluir
  18. Adorei o seu blog, achei fantástico, criativo, despojado e irreverente. Estou te seguindo. Virei sempre visitá-lo para ter novas idéias. Parabéns.

    Visite o meu blog, bem modesto,
    www.flornocapim.blogspot.com

    Abraços

    ResponderExcluir

Entre no papo, comente!
Sua opinião é sempre bem vinda!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...