Tela do artista plástico moçambicano Antero Machado.

Tela do artista plástico moçambicano Antero Machado.

domingo, 27 de março de 2011

A historia das coisas

A amiga Malu Machado em seu blog Absinto, comentou sobre um video "Absolência" (veja aqui) e propos um debate sobre o assunto. 
Eu ja tinha visto este outro video, que apresento aqui, e acho que ele ajuda a complementar a questão e coloca mais subsidios a uma discussão mais ampla. 
É um video um pouco longo, mas acho que vale a pena. 
Já passou da hora de abordarmos estas questões, sem pieguismos, sem radicalismos, sem frases feitas, sem filosofia de botequim, sem ONGuismo.
É uma boa hora para raciocinarmos com lucidez e começarmos a trabalhar para alterar este quadro, um modelo economico mais que falido, que favorece somente as grandes corporações e ao capital. Este modelo nos aprisiona e, sem notarmos, nos transforma em parte imprescindivel dessa cadeia absurda de consumismo desenfreado e produtores vorazes de lixo..
Como mudar isso? Como empregar os milhoes de trabalhadores da industria do superfluo se deixarmos de utiliza-los, causando desemprego em massa?
É, a questão é muito complexa e devemos pensa-la por diversos angulos.
Como lutar contra o status quo?
Contra a midia serviçal que cria constantemente novos modelos e parametros?
Não falo em abrir mão da ciencia, das conquistas, da evolução, mas sim da industria do superfluo, aquela que cria a necessidade antes de criar o produto.
Que tal começarmos a pensar: - Eu preciso mesmo disso? Compro apenas para me situar socialmente? E eu preciso me situar desta forma?
Esta aberta a questão.
Visitem o "Absinto", leiam o excelente post da Malu e comentem, nos deem a sua visão sobre o assunto.






20 comentários:

  1. eu posso repetir o comentário que fiz lá?
    é um mundo muito esquisito! ontem mesmo, estava conversando com um primo que mora no Paraná. E ele me xingando pq meu celular é antigo (4 anos, funcionando bem, vou trocar pra que) e ele tem um iphone 4. Dai ele me disse "vc é atrasado, apesar de morar no Japão", ou seja... se eu não tiver tudo no último, sou atrasado? Que mentalidade...

    (abaixo vou colocar o que escrevi no blog da Malu)
    isso que é engraçado... lembro que antes, no tempo dos meus pais, as coisas duravam décadas! em casa (no Brasil) temos ainda rádios à valvula q funcionam, um gramofone q ainda toca, e até os ferros a carvão, q se botar nele o carvão "funciona", dentre outras antiguidades.
    e se desde aquele tempo já se tinha essa mentalidade da duração curta das coisas, hj então...

    esse documentário assusta. mas é por ai mesmo, já trabalhei em setor de qualidade de uma empresa e a projeção de uso de cada produto era de um ano (quebrar depois da garantia, e não durar mais que um ano e meio)


    hj em dia tudo dura tão pouco... e quem está caminhando para a curta duração é o planeta, com essa ignorância consumista.

    ResponderExcluir
  2. Alexandre,

    Se você atua na contra mão deste processo estabelecido, você é tachado de retrogrado!
    A gente para ser cool tem que ter tudo da ultima geração, andar na moda, utilizar-se de tudo que é supérfluo, alimentando o status quo!
    Nada me tira da cabeça que esta onda de revoluções nos países árabes não é insuflada por este sistema.
    Vi na televisão o comentário de um brasileiro que morava na Líbia e ele dizia, com ênfase, que o pais era muito atrasado, pois só tinha celular ha quatro anos e eles tinham dificuldade de comprar bens de consumo ocidentais.
    As grandes corporações precisam deste mercado.
    O importante é percebermos que as pessoas (a gente pode se incluir entre elas) não enxergam a raiz do problema.
    A grande maioria da ONGs se preocupa com a ponta do iceberg atuando com muito pouca resolutividade. Atuam enxugando gelo!
    O problema é muito mais amplo e a gente não vê discussões neste sentido.
    Tem que haver mudança no modelo! Utilizar a mídia para alterar este processo.
    É luta de Dom Quixote.

    abços

    ResponderExcluir
  3. Deve ser por isso que criaram essa frase:
    "Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa".

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Oi Life, que felicidade em ver o tema de
    batido aqui também. E você o fez de uma forma bacana, porque quase sempre quem fala em meio ambiente é taxado de eco chato. Bom, pagar pelos mananciais de água em fazendas já é uma realidade. Será que não deveríamos todos começar a pensar nesta "chatice" que é pensar na preservação do planeta?

    Beijo grande,

    ResponderExcluir
  5. Tem um meme para ti lá em casa.
    Um grande bj querido amigo

    ResponderExcluir
  6. Olha, eu adorei isso. Essa proposta sobre um debate a respeito do assunto.

    Certa vez, postei em meu blog um texto chamado "O bom não basta, tem que ser o melhor? Que trata desse consumo desenfreado onde as pessoas primeiro compram, depois pensam o que farão com o produto. Com isso, vão amontoando tralhas, objetos sem utilidade que mais tarde se transformarão em lixo. Lixo que também é um problema para o planeta (não sou demagoga, eu realmente levanto essa bandeira).

    A minha filosofia é a seguinte. Não preciso ter tudo o que quero, mas tudo o que de fato eu preciso.

    A propósito, também me chamo Malu. Uma pessoa desassossegada com as questões que movimentam e transformam esse adorável mundo louco.

    Um grande abraço. Ah, resolvi ficar por aqui.

    ResponderExcluir
  7. Ih, Lufe... eu tb tenho essa impressão, quase uma certeza.
    A Líbia e países que vivem em situações semelhantes não interessam. Não que estamos elogiando o Sr. Gadaffi, mas ele deu um bom motivo pra "quebrar tudo". quem não dança a música do capitalismo à moda americana, literalmente dança.

    A China, com esse capitalismo esquisito, deixou há muito de ser inimiga. a velha URSS acabou, virou tb um lugar bom pra vender todo tipo de bugiganga...

    Cuba tá mais ou menos em paz, pq lá tem pouca gente...

    né fácil não. a verdadeira revolução só acontece quando cada um mudar de atitudes...
    abraços

    ResponderExcluir
  8. Ah, o vídeo não abriu pra mim, travou todo. =\

    ResponderExcluir
  9. Malu,

    è sempre importante abordar este tema.
    Existem varias facetas a se considerar, mas a discussão deve estar sempre em pauta

    bjos

    ResponderExcluir
  10. Gisa,

    Obrigado, querida.
    Posto amanhã, ok?

    bjos

    ResponderExcluir
  11. Malu Oliveira,

    Seja bem vinda
    É sempre bom ter novas pessoas e novos pontos de vista por aqui.
    Isto enriquece.

    bjo

    ResponderExcluir
  12. Alexandre,

    Como você, nunca fui a favor de nenhum tipo de ditadura.
    Não defendo a filosofia dests individuos, mas é o mote para o avanço das corporaçoes americanas e aliadas.
    Os proximos são o Irã, e outras naçoes arabes, onde se abrira um excelente mercado.

    abços

    ResponderExcluir
  13. Luna,

    veja em:

    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=lgmTfPzLl4E

    bjoca procê

    ResponderExcluir
  14. Eu vou falar aqui só na minha casa que é o sitio que eu conhece melhor, enquanto eu tenho um telemóvel à oito anos, a minha mulher já comprou cinco, e já me disse umas mil vezes para comprar outro telemóvel.
    Estou a ver um programa americano na televisão, é o PESO CERTO,pessoas com vinte anos com quase duzentos quilos, comem mais num dia que eu como num mês, com vinte anos têm as doenças quase todas, o que é bom para a industria farmacêutica, à pessoas lá que têm que tomar dez e doze comprimidos por dia.
    Os americanos matam os chefes árabes, mas é só os que recebem euros no pagamento do petróleo,A OPEP foi criada para o petróleo ser pago em dólares, mas americanos, o Ugo Chaves também está na mira deles.
    Um bom texto e um belo vídeo.
    As pessoas deixaram de ter amor às coisas, e às pessoas.

    Um grande Abraço,
    José.

    ResponderExcluir
  15. José,

    Os celulares ( telemóveis) são um exemplo claro deste consumismo. Afinal pra que ele serve. Pra telefonar? Esta hoje é a menor função dele! Ele tira foros, filma, tem GPS, musica, acessa internet, manda e-mail...... Eu não consigo ver para que isso tudo.
    Tem hora que me acho meio retrô. Tenho o meu celular a quatro anos e ele tem as mais diversas funções, que eu não utilizo. O meu celular, eu já os utilizo desde 95, é restrito aos familiares e as pessoas muito próximas. Ele não é publico. Preservo sempre a minha privacidade. Só atendo telefones conhecidos ou já cadastrados.
    Se alguém fora desta lista quiser falar comigo, ligue para minha casa ou escritório.
    O meu ritmo e filosofia de vida não comportam este “plug” devassador e devastador.
    A maioria das pessoas que conheço que utilizam GPS em seus automóveis o fazem não para se localizar, mas unicamente para detectar os radares. Bela pratica!!!!
    Eu me conecto ao mundo no momento que quero e não me permito ser devorado por ele.
    Estou na contra mão do mundo?
    Que assim seja......

    abços

    ResponderExcluir
  16. meu querido li seu texto e li tambem os comentários e devo concordar com o Alexandre , as coisa duram bem no máximo 1 ano , acho que eles ate fazem de propósito
    bjs

    ResponderExcluir
  17. Oi Lufe,
    O video é excelente.
    Nós os mais adultos temos sim que tomar alguma atitude, a que a Malu e vc fazem já se faz um começo, propagar. Agora me diz como convenço minha filha (adolescente) a se conscientizar disso (pq se não seguem "moda" são discriminados seriamente!), afinal no consumo eles são os alvos escolhidos.
    Longo prazo para uma real conscientização.
    Adorei o video, vou repassar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Excellent post I must say.. Simple but yet interesting and engaging.. Keep up the awesome work!

    generic paxil

    ResponderExcluir
  19. Lufe, eu já conhecia este video também, muito obrigada por participar do debate e enriquecê-lo.

    abraço

    ResponderExcluir
  20. Lufe, muito bom vídeo. Assuntos abordados de suma importância e que no dia a dia agimos de maneira desenfreada.
    Adorei participar deste debate e ver opiniões diversas que chegam ao mesmo ponto.

    Beijos

    ResponderExcluir

Entre no papo, comente!
Sua opinião é sempre bem vinda!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...